Design Thinking no Food Service

O tema de hoje é uma técnica para te auxiliar no processo de inovar e compreender melhor o seu cliente: o Design Thinking no Food Service.

O que faz uma empresa se destacar aos olhos do consumidor? Sabemos que encontrar soluções criativas para problemas cotidianos é uma verdadeira missão! Mas, com a ferramenta certa, pode se tornar muito mais fácil.

O Design Thinking é uma abordagem de pensamento criativo que, com a ajuda dos stakeholders, procura entender melhor os desejos e necessidades dos clientes e atender a essas demandas da melhor maneira.

Desta forma, a empresa consegue criar produtos e serviços com muito mais valor agregado para seus consumidores. No food service, essa técnica pode ajudar nos processos de criação de novos pratos, na melhora do atendimento e até mesmo com o design da marca e do ambiente.

A seguir você vai saber mais sobre os pilares e etapas dessa técnica.

Como o Design Thinking funciona?

A base do Design Thinking está na empatia que deve ser empregada durante todo o processo. Ao se colocar no lugar do outro é possível entender melhor sua visão de mundo e forma de pensar.

Os três pilares do Design Thinking são:

  • Empatia – É preciso enxergar as dores, necessidades e aspirações dos clientes através de seus olhos. Dessa forma poderá esboçar as primeiras ideias para, então, criar soluções sob medida.
  • Colaboração – Em seguida, precisa usar os recursos mentais para trabalhar de maneira coletiva e participativa. Reúna o maior número de pessoas de diferentes áreas para buscar diferentes ideias e soluções para os problemas que foram levantados.
  • Experimentação – Por fim, será necessário testar os protótipos e versões que foram criadas anteriormente. Assim você se certificará que o consumidor terá uma solução precisa do que procura antes de aplicá-la de forma definitiva.

É preciso lembrar que nessa abordagem, o foco está no cliente. A vantagem em investir nesse método é criar um diferencial de mercado, oferecendo soluções novas mais alinhadas ao desejo do consumidor.

Quais são as etapas que devem ser seguidas?

Chegou a hora de pôr a mão na massa! Confira as 5 etapas que devem ser cumpridas para a execução prática do Design Thinking.

1. Crie empatia e compreensão

Como foi dito anteriormente, a empatia é essencial para fundamentar essa estratégia. Deixe de lado seu ponto de vista, opiniões e pré-conceitos e busque entender seu consumidor pelo ponto de vista dele.

Pesquise seus hábitos, criação e estilo de vida para compreendê-lo melhor, fugindo da idealização estabelecida pelo mercado e seus concorrentes.

2. Definição

A seguir será preciso unir essas informações e definir de fato qual é o problema que precisa ser solucionado. Se o cliente do seu restaurante tem filhos, será que não gostaria de ter no menu opções pensadas para o público infantil? O consumidor heavy-user de redes sociais não gostaria de um ambiente especial para tirar fotos?

Ao definir quais são as dores que precisam ser resolvidas, pode partir para o próximo passo.

3. Idealização

Já ouviu falar em brainstorm? Esse é o momento de reunir todos e fazer uma verdadeira “chuva de ideias”. Não se reprima, aqui todas as opiniões são válidas e podem ser mescladas para chegar a solução ideal.

No final você irá se surpreender com quanta coisa interessante pode surgir.

4. Prototipação

Você já identificou o problema, levantou possíveis soluções e agora é o momento de usar as melhores ideias para desenvolver alternativas viáveis para satisfazer os desejos e necessidades do seu cliente.

Essa é uma fase que demanda bastante atenção: quanto melhor for o protótipo, melhores são as chances de obter sucesso com eles na próxima etapa.

APRENDA TUDO SOBRE DELIVERY

O mercado digital de alimentos funciona como uma peça-chave para a atualização de restaurante. Ademais, um app de comida garante altos benefícios e modernidade para o food service.

Em nosso [Ebook Gratuito] Os Segredos do Delivery, do ZERO ao Sucesso, nós falamos muito sobre a utilização dos aplicativos para a entrega do alimento, como cadastrar um estabelecimento, alcance e negociação de valores, entre outros assuntos. Se possui alguma dúvida, baixe nosso material e seja feliz entrando para um novo mundo digital em seu negócio!

5. Testes

Por fim, chegou o momento mais emocionante: testar as soluções que foram criadas! É nesse momento que podemos avaliar a adesão do público. É muito importante receber os feedbacks e usá-los para chegar até a solução perfeita para o seu público.

Aplicar o Design Thinking no Food Service é uma maneira criativa e inovadora de criar valor para o seu negócio e mais oportunidades para fidelizar seus clientes. 

Aqui no blog da Monte Carlo sempre tem novos conteúdos para te ajudar com a gestão e marketing do seu estabelecimento. Confira aqui!